Sobre aumento de pernilongos


Publicado em 18 de outubro de 2018
Secretaria de Saúde promove palestra na terça-feira
Mais informações: 3456 3555

O aumento de pernilongos no Jd. Aquárius e bairros vizinhos tem causado preocupação. Moradores reclamaram nesta semana em redes sociais.

Profissionais do setor municipal de Vigilância em Saúde confirmam o fato. Eles informam, porém, que são pernilongos do tipo comum, que não transmitem dengue (uma das preocupações dos moradores).

Isso não significa que a situação não seja incômoda, ou que não requeira ações para amenizar, mas é importante trabalhar sempre com dados corretos, de forma responsável, para não causar preocupação além da conta.

A população tem cobrado dedetização no bairro. Os profissionais da área explicam que é importante entender que isso não é a solução. A dedetização de toda a cidade já foi feita em junho deste ano para manter pragas urbanas sob controle, e uma nova acarretaria em desequilíbrio ecológico — e, por isso, não é recomendada por órgãos competentes.

DEDETIZAÇÃO X NEBULIZAÇÃO

“Dedetização” é diferente de “nebulização”. A nebulização elimina mosquitos, moscas, pernilongos e outros insetos. Mas, por ser uma medida muito forte, deve ser aplicada somente em casos de extrema emergência.

O setor de Vigilância Epidemiológica consultou a Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) para ver a possibilidade de realizar uma nebulização em Iracemápolis. A orientação é para não fazê-la, uma vez que a medida só deve ser aplicada em casos de epidemia de arboviroses.

DENGUE SOB CONTROLE

Iracemápolis faz bom controle de dengue, zika, febre amarela e chikungunya. Em uma população de 23 mil habitantes, há nove casos registrados neste ano, sendo quatro importados — ou seja, foram contraídos por pessoas que visitaram outros municípios.

Esses números colocam Iracemápolis entre as melhores cidades da região em se tratando de controle. A Prefeitura afirma que isso é fruto do trabalho conjunto entre o setor de Saúde e a população.

Porém, embora os casos sejam baixos, os profissionais de Saúde fazem um alerta: em todo o estado de São Paulo, é esperado aumento de casos no período de verão. A partir de agora, entraremos no período de chuvas e forte calor, o que é propício para a proliferação do Aedes aegypti.

Daí a importância de, juntos, Prefeitura e população intensificar o controle e eliminar criadouros do mosquito. Entre as medidas mais comuns, estão a limpeza de calhas, marquises, caixas d’água, ralos de quintal e eliminação de água parada limpa.

DENGUE X PERNILONGO COMUM

A preocupação da população com o aumento de pernilongos no Jd. Aquárius tem a ver com o medo de aumentar casos de dengue.

Porém, é importante entender que há diferenças entre o pernilongo comum, que aumentou no bairro, e o Aedes aegypti, que está sob controle.

Uma delas é que o Aedes se prolifera em água parada limpa (encontrada em residências, por exemplo). E os pernilongos comuns, que não transmitem dengue, se proliferam em água suja. Outra diferença é que o Aedes não “canta”, é um mosquito mais “silencioso”.

A Prefeitura informou que os profissionais da Saúde estão se mobilizando sobre a questão, passando informações técnicas, consultando biólogos e em contato constante com a SUCEM para ampliar a informação correta sobre o assunto para a população.