Crise hídrica impõe necessidade de racionamento em Iracemápolis


Publicado em 22 de dezembro de 2021

 

Devido à crise hídrica que impõe dificuldades de abastecimento em todo país, a Prefeitura de Iracemápolis informa que o município passará por racionamento de água com início na próxima segunda-feira, dia 27.

Desde maio, o município tem alertado à população sobre os riscos da falta de chuva, situação que preocupa diversos municípios. Na região, o racionamento já foi adotado por algumas cidades.

Nesta semana, o município realizou uma força-tarefa para preservação ambiental devido à baixa registrada na Represa Iracema, por motivo de falta de chuvas.

O RACIONAMENTO

O racionamento ocorrerá de segunda a sábado, com restrição de água das 06h as 16h. Serão intercalados os bairros. Às segundas, quartas e sextas, a restrição ocorre nos bairros da parte baixa da cidade, ou seja, abaixo da Avenida Pedro Cosenza. Às terças, quintas e sábados, a medida ocorre na parte alta, ou seja, bairros acima da Avenida Pedro Cosenza.

FISCALIZAÇÃO E MULTAS

As ações seguirão normas estabelecidas pela Agência Reguladora (ARES-PCJ). O município irá intensificar as ações de fiscalização contra o desperdício de água e será publicado amanhã decreto que institui multas em casos do uso da água de forma inadequada.

Fica proibido qualquer uso fora do necessário para consumo como, por exemplo, utilizar água da torneira para lavagem de veículos, calçadas e piscinas. O desperdício é considerado, segundo documento técnico da agência reguladora, infração gravíssima com penalidade correspondente a 50 vezes o valor da tarifa mínima. Em Iracemápolis, a tarifa mínima está em R$ 27,00. Portanto, multa de R$ 1.350,00. No caso de comércios e industrias, há alteração no valor da tarifa mínima.

CONSCIENTIZAÇÃO

O coordenador de Meio Ambiente, Rodrigo Valdanha, destaca a importância da população se conscientizar e contribuir com a economia.

“Desde maio temos informado sobre a questão da crise hídrica. Pedimos a contribuição da população para não lavar calçadas e veículos com água da torneira e usar a água de forma consciente, para que não ocorra a falta”.