Prefeitura equilibra orçamento após 6 anos


Publicado em 31 de janeiro de 2019

Após 6 anos fechando o orçamento no vermelho, a Prefeitura de Iracemápolis conseguiu equilibrar sua relação entre receita e despesa. Com isso, pela primeira vez desde 2012, o Município fechou o ano com superávit orçamentário.

Na prática, isso significa que a Prefeitura reduziu os gastos e, ao mesmo tempo, conseguiu ampliar a arrecadação. A informação é dos departamentos de Contabilidade e Finanças, em balanço fechado nesta semana.

Ao comentar o bom resultado, o prefeito Fábio Zuza destacou a importância de ações de controle e economia. “A crise financeira do país reflete nos municípios, mas a Prefeitura tem se adaptado e feito os ajustes necessários para honrar compromissos e pagar salários”, afirmou.

Agora, com o orçamento equilibrado, é possível planejar políticas públicas com mais eficiência e segurança, sem perder as dívidas de vista.

ENTENDA

O equilíbrio orçamentário é importante porque significa que a Prefeitura está gastando dentro daquilo que arrecada. Ou seja, conseguiu adaptar os custos mensais ao orçamento disponível.

Isso se deve a dois fatores. O primeiro é o aumento de receitas, fruto de mais repasses por parte do Estado. O segundo vem da redução de custos, fruto de ajustes em serviços, revisão de contratos e ações de economia por parte dos funcionários.

Arrecadando mais e gastando menos, foi possível equilibrar as contas. Porém, a Prefeitura trata o assunto com cautela. Embora tenha conseguido o equilíbrio do caixa, ainda há muitas dívidas para pagar, o que esvazia o caixa.

ICMS: REPASSE CRESCE

Outra boa notícia é o crescimento do ICMS do Município. Isso quer dizer que o Governo do Estado está repassando mais recursos do imposto gerado por empresas sobre circulação de mercadorias e serviços.

O repasse cresceu de R$ 12,8 milhões para R$ 19,8 milhões em dois anos. Isso se deve a vários fatores, como o desempenho de empresas do município, o reflexo de outras que, embora não estejam no município, acabam contribuindo, e o desempenho do Estado de São Paulo como um todo.

A Prefeitura informa que as empresas que mais contribuíram para ampliar o repasse foram Mercedes-Benz, São Martinho, Starplast, Elektro, Harsco, Autoport, Arcelor Mittal, Tormep, Engebag, Telefônica e Móveis Casimiro.