Prefeitura intensifica combate ao Aedes aegypti


Publicado em 20 de janeiro de 2017

Iracemápolis confirma primeiro caso de dengue do ano

A Secretaria de Saúde intensificou o combate ao Aedes aegypti. O departamento se organiza para tentar evitar que doenças se alastrem, uma vez que se espera uma epidemia de chikungunya em todo o país em 2017.

“Precisamos ficar atentos com criadouros do mosquito, principalmente após as chuvas, pois uma tampinha de garrafa pode criar larvas”, disse o vice-prefeito, Messias de Oliveira.

A Prefeitura informou que, no último fim de semana, 12 agentes de saúde estiveram no Lázaro Honório de Oliveira intensificando as ações de combate, já que o bairro é o mais crítico no momento. As ações, que também serão feitas em outros pontos da cidade, incluem bloqueio, se necessário, nebulização e trabalhos de orientação.

Messias conclui pedindo a colaboração da população. “Para que as doenças não apareçam, é necessário que o mosquito não nasça. Por isso, é preciso que todos ajudem a acabar com os criadouros”.

 

BALANÇO

Foi divulgado um boletim informativo sobre os casos de dengue e chikungunya em Iracemápolis nos dois últimos anos. Não há casos em 2017: por ora, o que existe é a confirmação, na primeira semana de janeiro, de casos de 2016.

Em 2016, foram 193 casos suspeitos de dengue, com 11 positivos (sendo 8 autóctones e 3 importados). Quanto aos de chikungunya, foram 6 suspeitos e 5 positivos (sendo 2 importados e 3 autóctones).

Em 2015, Iracemápolis enfrentou uma epidemia: foram mais de 1.040 casos notificados de dengue e 610 positivos.