Transportes realiza pesquisa com usuários


Publicado em 27 de novembro de 2019
Lela apresenta dados do questionário entregue à população

O setor municipal de Transportes realizou uma pesquisa com os pacientes que fazem hemodiálise em cidades da região e utilizam táxis locados pela Prefeitura.

De acordo com o diretor do setor, Clodoaldo Benedicto (Lela), o objetivo foi avaliar o atendimento prestado. Nas últimas semanas, um questionário foi entregue aos usuários, uma atividade que permitiu a classificação dos serviços em “ruim”, “regular”, “bom” e “muito bom”.

“A proposta foi ouvir da pessoa que utiliza os serviços o que acha sobre a conservação dos veículos, o compromisso, a pontualidade e a forma de condução dos motoristas, além de recomendações”, explicou.

RESULTADO

O questionário foi entregue a 82 pessoas após a utilização do serviço — elas preencheram de forma anônima e devolveram para análise.

Dessas, 17 responderam sobre “Estado dos veículos”: 1 classificou como regular, 4 como bom e 12 como muito bom. Outras 17 opinaram sobre “educação/cordialidade”: 1 disse ser regular, 4 boa e 12 muito boa.

Sobre “pontualidade”, 16 opinaram, sendo que 6 disseram que é boa e 10 muito boa. Outras 16 pessoas responderam sobre “condução do veículo”: 6 disseram que é boa e 10 muito boa.

Por fim, sobre “comprometimento” dos motoristas, 16 opinaram, sendo 7 afirmando que é bom e 9 muito bom.

ANÁLISE

Lela explicou que a proposta não é apenas colher os dados, mas aplicar as melhorias que se mostrarem necessárias a partir do retorno obtido.

Ele analisou o retorno como positivo e lembrou que o fato de os pacientes fazerem o traslado com táxis é resultado de medida aplicada pelo prefeito Fábio Zuza recentemente. “Em contato com o usuário, vimos que foi uma decisão acertada”, confere.

A opinião é compartilhada pelos taxistas. Um deles, o José Amaral (Zocão), contou ao site da cidade que conversa com os pacientes sobre o assunto. “Essa medida tornou as viagens mais confortáveis para eles e ampliou a pontualidade, segundo eles próprios”, afirmou.

Para os pacientes, o ganho é grande, uma vez que os taxistas costumam trabalhar com carros de ponta.

De acordo com Lela, ainda há outros benefícios. “Ao locar o serviço para os pacientes em hemodiálise, veículos e motoristas da Prefeitura ficam à disposição para outros roteiros. Com isso, é possível dar mais qualidade no atendimento à população”, pontua.